A ignorância não tem limites

27/01/2022

Em uma tentativa insana de defesa do presidente, o deputado estadual do Rio de Janeiro, Filippe Poubel afirmou na terça- feira (25.) que a cantora Anitta deveria ser presa. "Cadê o mandado de prisão da Anitta, STF? O Artigo 26 da Lei de Segurança Nacional prevê a calúnia ou difamação, imputando-lhes como crime ou fato ofensivo à reputação do presidente da República, pena de reclusão de 1 a 4 anos". Ele ainda continua "Ora, a liberdade de expressão não possui limitação jurídica? A prática dessa difamação pública ao presidente da República, incitando o ódio a milhares de pessoas, influenciada por 'artista conhecida nacionalmente' está previsto na Lei de Segurança Nacional, as provas são evidentes". A ignorância não tem limites. Poubel postou no Instagram um registro de um show da artista em que o público profere xingamentos contra. O evento foi realizado no Rio de Janeiro, no último fim de semana. Do palco, Anitta endossou as críticas e disse: "A voz do povo é a voz de Deus". A Alerj mantém a advocacia da Casa e o deputado pode ter a disposição um patrono para que imbecilidades como essa não ocorram. O deputado pede de forma veemente a prisão da cantora, convocou até o STF para essa cruzada e até cita o artigo que ele teria infringido. "Artigo 26 da Lei de Segurança Nacional prevê a calúnia ou difamação, imputando-lhes como crime ou fato ofensivo à reputação do presidente da República", as provas são evidentes, garante o parlamentar carioca. Se ele perdesse um pouco de tempo lendo e estudando antes, saberia que a LSN (Lei de Segurança Nacional), foi revogada em setembro de 2021. Ele cita o artigo 26 da lei, que não vale mais. Em seu lugar, foi sancionada a Lei nº 14.197/2021. A LSN já foi usada pelo governo federal, algumas vezes, contra qualquer um que fosse seu crítico. Um dos casos mais famosos foi o do influenciador digital Felipe Neto, intimado com base na lei depois de dizer que o presidente é um genocida. Esse ano, é hora de separar o joio do trigo, e tentar impedir que pessoas despreparadas como o deputado Poubel, assumam a responsabilidade de representar uma população. Esse é o mesmo parlamentar que em 2020 invadiu um Hospital de Campanha, que nem havia sido inaugurado.