Vivendo a sombra do controle militar geral

27/05/2020

Não existe dúvida que o país corre um risco enorme de nossa democracia sofrer uma ameaça de uma ação militar fora dos marcos da Constituição. Alguns fatos são inegáveis, nem no período de controle militar no país, o governo teve a presença de tantos militares do governo, inclusive da ativa, nunca a tutela militar esteve tão presente. Enquanto o judiciário se preocupa em analisar se o vídeo da reunião '22' traz alguma coisa que comprove a acusação do ex-ministro Moro, com a clara motivação de desacreditá-lo, já que realmente não existe nada, que de forma direta e não interpretativa corrobora com sua denúncia. Deixam para trás o que realmente determina 'crime', nas imagens. A fala da presidência da república, incentivando que a população se arme e saia às ruas contra as instituições. Isso está la de forma clara e cristalina, para quem quiser ouvir, independente da interpretação popular, os pró Bolsonaro vão chamar de um ato de bravura o mito, os contra Bolsonaro um atentado. O que deve prevalecer nessa circunstância é a interpretação legal do ponto de vista jurídico, que houve um crime. E isso sim, deveria ser alvo de abertura de um inquérito para investigar. Estamos sobre a ameaça de uma ação militar fora do marco Constitucional e não se trata pela presença de 3 mil militares, ocupando cargos estratégicos. E engana-se quem pensa que os militares do poder pensam contrário, o general Augusto Heleno, mandou um recado explícito ao STF, caso a STF determinasse a apreensão dos celulares do presidente "teria consequências imprevisíveis", militares da reserva já decretaram seu apoio a essa declaração de guerra, resta saber se ela também tem o apoio das lideranças aquarteladas. Toda e qualquer ação militar fora do marco da Constituição é ilegal. Entretanto o presidente todos os dias viola a Constituição e manifesta publicamente sua disposição rumo ao autoritarismo. O que nos resta é aguardar até onde, as forças armadas do país vai estar disposta a acompanhar os arroubos autoritário do presidente.