Nem mesmo o governo norte americano sustenta a flexibilização do isolamento

13/05/2020

Nem mesmo o governo norte americano sustenta mais a flexibilização da quarentena, o epidemiologista Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA e membro importante da força-tarefa nomeada pela Casa Branca para combater o coronavírus, que é também um dos quatro principais médicos do governo. Alertou ao Senado nesta terça-feira (12) que os americanos vão viver "sofrimento e morte" se o país sair rápido demais da quarentena, que há o risco de acontecerem "múltiplos surtos em todo o país". Confirmada a inexistência de tratamento medicamentoso contra o vírus, o isolamento social, segue sendo a recomendação principal de todas as agências de saúde. Aqui no Brasil o presidente trocou o ex-ministro Mandetta e colocou Nelson Teich na pasta da saúde com a esperança de que esse adotasse uma postura diferente. Entretanto a visão de um homem da ciência e envolvido com a saúde, tem impedido Teich de decidir pela flexibilização, ao contrário, ele já prevê a necessidade de ampliar para o lockdown para alguns estados. Por estar, assim como Mandetta distante de seus ideais, é possível que o novo ministro, dure ainda menos no cargo. A previsão é que em breve, mais um militar sente em mais uma cadeira de ministro de estado. A saída prematura do isolamento certamente irá retardar a volta a normalidade. previu Fauci.