Até aqui nos ajudou o Senhor

Combinação explosiva, pandemia, inverno e deterioração do sistema de saúde.

19/05/2020

Um alerta importante a nossa população, o Brasil irá viver a partir do próximo mês, além da expectativa da expansão dos casos do coronavírus, a chegada de outros surtos infecciosos em razão do inverno no hemisfério sul. É o início da temporada do vírus influenza (causador da gripe), final da temporada de dengue e surtos ativos de outros vírus que pareciam superados, como o do sarampo. De acordo com o último boletim do Ministério da Saúde, até o momento foram relatados 676.928 casos suspeitos ​​de dengue, com uma taxa de incidência de 322 casos por 100.000 habitantes e 265 mortes. No último ano o país registrou 1.122 mortes pelos três tipos de influenza, segundo dados oficiais. De acordo com o pesquisador da FAPESP (Fundação de Amparo de Pesquisa do Estado de São Paulo) Mauricio Lacerda, que trabalha em um hospital de São José do Rio Preto, "as perspectivas são muito ruins para o inverno. Aqui no hospital, já temos pacientes com gripe, covid-19 e dengue, e tivemos mortes causadas pelas três doenças. É uma situação muito complicada e que sobrecarrega a rede pública", disse ele. A deterioração do SUS (Sistema Único de Saúde), não é de agora, mas a política de austeridade fiscal, ampliada nesse governo agravou a situação. Segundo relatos de organizações de direitos humanos, desde que um controverso teto de gastos orçamentários foi aprovado no final de 2016, o Brasil parou de investir cerca de R$ 30 bilhões no setor de saúde, para colocar no setor hoje, cerca de R$ 5,17 bilhões. O quadro então é de extrema cautela, para superarmos essa combinação explosiva.