Pra' os amigos tudo... Para os inimigos a PF

31/05/2020

Na semana em que o governo do Rio de Janeiro sofre um duro ataque com a operação Placebo, que investiga indícios de corrupção com os recursos provenientes do estado de emergência em razão da pandemia do coronavírus no estado. O governador Wilson Witzel perde seu secretário de Polícia Civil, Marcus Vinicius de Almeida Braga, que pediu exoneração do cargo. Em seu pedido o secretário não esclarece os motivos do pedido, mas fontes ligadas a ele dão as investigações da PF, como principal razão. Para o seu lugar o governador nomeou o delegado Flávio Marcos Amaral de Brito, que era subsecretário de Gestão Administrativa. Na quarta-feira (27) o governador exonera os secretários da Casa Civil e da Fazenda e suspendeu a suspendeu a nomeação do ex-secretário de Saúde, Edmar Santos para a secretaria extraordinária de acompanhamento da Covid-19. Envolto a série de suspeitas e de um possível pedido de impeachment , o partido Republicanos também anunciou a saída da base do governo em razão dos "fortes indícios de corrupção" e determinou a saída do secretário de Trabalho e Renda, Jorge Gonçalves.