Até aqui nos ajudou o Senhor

Em um momento infeliz Roberto Justus declara que o grande numero de mortos pelo mundo "não é tão grave"

04/06/2020

O empresário Roberto Justus, teve todas as suas previsões acerca da Covid-19 desfeitas. Em março ele declarou sem nenhum balizamento técnico que o vírus não passava de "gripezinha leve" que só "mata velhinhos". No áudio vazado ele ainda garantiu que o coronavírus não iria matar ninguém na periferia e demonstrou descontentamento com as medidas restritivas e de isolamento anunciadas pelos governos estaduais. Justos defendia o efeito manada ou infecção do rebanho. Uma polêmica tese defendida pelo governo britânico, que logo foi descartada ao perceberem que o vírus não obedece ao curral, todos independente de idade, sexo ou posição social ao terem contato com o vírus podem ser contaminados. Na terça-feira (2) em entrevista à Jovem Pan ele voltou a criticar a quarentena, para ele, os o motivo da atual crise econômica são os decretos de prefeitos e governadores que impõem limites ao que pode ou não funcionar e não o coronavírus. Justus chegou a chamar as medidas de controle de atos politicamente correto e concluiu "Não deveria deixar a economia ter o maior tombo da humanidade por causa do politicamente correto". E que o grande número de mortos pelo mundo "não é tão grave".