Imunidade parlamentar...

07/06/2020

A Polícia Civil de São Paulo registrou um BO, sobre a invasão do hospital de campanha do Anhembi, por deputados estaduais e assessores insanos. Insanos, não pelo fato de estarem realizando suas tarefas(?) de investigar as ações do governo. Mas sim pelo fato de que não se pode, usar das prerrogativas do cargo para cometimento de crimes como tem acontecido durante essa crise. No caso dos deputados, eles praticaram infração de medida sanitária preventiva, artigo 268 do CP. De acordo com o artigo, que trata da infração de determinação do poder público destinada a impedir propagação de doença contagiosa, qualquer simples humano poderia pegar detenção de um mês a um ano e multa. Mas eles, estão protegidos pela impunidade parlamentar. Os deputados foram impedidos de entrar por falta dos equipamentos exigidos. Acabaram desobedecendo a ordem e entraram, filmaram o local que mesmo sendo público não permite uma filmagem irregular, eles chegaram a expor imagens de pessoas sem a devida autorização de uso, que estavam sendo atendidas. A Prefeitura afirmou em nota que "os deputados e assessores invadiram o HMCamp do Anhembi de maneira desrespeitosa, agredindo pacientes e funcionários verbal e moralmente, colocando em risco a própria saúde porque inicialmente não estavam usando EPIs e a própria vida dos cidadãos que estão internados e em tratamento na unidade." O município ainda informa que, os deputados filmaram as alas do hospital que ainda não foram ativadas "e gravaram pacientes sem autorização prévia, muitos dos quais estavam sendo higienizados em seus leitos". Os deputados acusaram o HMCamp de Anhembi de subutilização, eles denunciaram que o hospital tem 1200 vagas e apenas 200 estavam ocupadas. Uma denuncia falsa já que a unidade conta com 1800 vagas e atualmente atende 407 pacientes e já registra o atendimento de 3000 pessoas. Será que estamos ficando loucos? Os deputados reclamavam, ao invés de festejar porque a Unidade estava vazia.