Na lógica do presidente do BC, quanta mais infecções, mais lucro

17/04/2020

Algumas coisas são difíceis de acreditar, mesmo quando a gente ouve. O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, ao falar sobre dados de um gráfico do Centro de Pesquisas de Política Econômica, que afirma que o isolamento trará profunda recessão a economia, descontextualiza completamente seu conteúdo. Campos Neto declara que quando você tem um achatamento maior, você tem uma recessão maior e vice-versa. Na lógica do presidente do BC, se os números de infectados e mortos caírem a economia também cai. De forma que quanto mais rápido vierem novos casos e mortes por convid-19, melhor para a economia. Todo esse enredo segue o ideal de que a economia precisa voltar a ativa, "mais importante é que a indústria continue produzindo e vendendo. Ainda que isso cause o colapso de hospitais e do sistema de saúde pública, forçando médicos a escolher quem atender e quem deixar morrer, é um preço razoável a pagar em nome do lucro". Poderíamos falar da fonte de referência que Campos Neto utilizou em sua exposição, mais o foco é 'Reduzindo a crise econômica da convid: agir rápido e fazer todo o possível' título em tradução livre do livro que ele utilizou. "Se preocupar pra' que, se todos nós vamos morrer um dia"?