"Não sou coveiro", respondeu o presidente ao ser perguntado pelas mortes da covid-19

21/04/2020

Em mais um encontro com apoiadores e jornalista, no final da tarde de ontem na portaria da residência oficial da presidência, ao ser indagado sobre nos novos números de óbitos que haviam sido divulgado momentos antes pelo ministério da Saúde , limitou-se a responder "não sou coveiro" por duas vezes. Essa declaração é um perfeito, não tenho nada com isso. Pela manhã o presidente já havia dito que "Aproximadamente 70% da população vai ser infectada. Não adianta querer correr disso. É uma verdade. Estão com medo da verdade? Lamentamos as mortes, e é a vida. Vai morrer". Quem cuida de morte é o coveiro, é a família do falecido, é a sociedade que se compadece com a dor do próximo. Como temos visto enterros sem nenhum acompanhamento e os coveiros dando o ultimo adeus às vítimas. A pergunta de R$ 1 milhão... Com o fim do isolamento, nessa circunstância de aumento de mortes dia a dia, você mandaria seu filho a escola? Você deixaria seu idoso ir às ruas? Então, você está preparado para ser o responsável por sua contaminação? Reflita nisso antes de entrar em um carro e levantar cartazes.