Até aqui nos ajudou o Senhor

Nos tempos da ditadura

05/05/2020

Parecia mesmo cena de filmes do tempo da ditadura, um colega jornalista sendo derrubado e agredido por um grupo ensandecido, bem a vista do presidente da república que com o seu silêncio aprova o ato. O colega Dida Sampaio do Estadão, estava ali para cobrir um evento e dar voz aos manifestantes, com a isenção que todo profissional de imprensa deve ter, mesmo que a manifestação tivesse cunho claramente golpista. Ele usava uma escada para pegar as melhores imagens, quando foi empurrado e caiu, enquanto se levantava foi covardemente agredido. A pregação do ódio desencadeada pelo presidente aos profissionais de imprensa só poderia dar nisso, colegas da Globo, do Estadão e de outros veículos, especialmente os que não aplaudem as insanidades desse governo, até então eram insultados das piores formas possíveis, agora também, estão sendo agredidos fisicamente e repetimos, com o silêncio eloquente o presidente. Não é a primeira nem a última vez que nós profissionais de imprensa sofremos com esse tipo de atos violentos. Mas continuaremos com nossa tarefa de informar a população para que cada um tome suas decisões. Dida Sampaio já ganhou dois prêmios Esso e três Vladimir Herzog, e cobre a rotina de presidentes desde o governo de Fernando Henrique Cardoso.