Suécia interrompe uso da cloroquina

20/05/2020

A Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC), divulgou um documento afirmando que a cloroquina NÃO tem eficácia comprovada contra o coronavírus. No documento a Sociedade diz aos seus profissionais que eles não são obrigados a prescrever a droga. Por outro lado um clima de terror toma conta dos médicos da rede pública em razão da politização do uso do medicamento, politização que já chegou também na rede privada. Ministros e políticos apoiadores do governo vão as redes sociais dizer que quem não quiser usar não usa. Entretanto ao se editar um protocolo, médicos passam a ser obrigados a prescrever a dosagem máxima. A não ser sob declaração explícita do paciente que não concordam com seu uso. O presidente começou usar por exemplo a Suécia por não aplicar o isolamento social e até incentivar o uso da cloroquina. No mês passado (abril) o sistema de saúde do país também recomendou a interrupção do uso da cloroquina em pacientes infectados com o coronavírus, após serem relatados graves efeitos colaterais. "Tomamos a decisão de interromper o uso da cloroquina diante de uma série de casos suspeitos de efeitos colaterais severos, sobre os quais tivemos notícia tanto aqui na Suécia como através de colegas de hospitais em outros países", declarou à RFI o médico sueco Magnus Gisslén, chefe do Departamento de Doenças Infecciosas do Hospital Universitário Sahlgrenska, o maior da Suécia.