O deprimente vídeo da reunião '22'

24/05/2020

Ainda que o vídeo da reunião '22' não explicite a interferência de Bolsonaro na PF do Rio de Janeiro (o que realmente não faz). Os participantes do evento não estão livres da execração publica, por parte das pessoas de bem desse pais. O presidente, por seu palavreado chulo e seus ataques gratuitos a todos que não corroboram com seus pontos de vista, deu o tom da reunião. A partir dele, todos os ministros que o precederam se viu no direito de atacar alguém ou alguma instituição. Alguns episódios vão colocar o pais em uma situação de desvantagem, frente a parceiros e investidores. O ministro Ricardo Salles ao pedir que todos se unam para passarem por cima da legislação ambiental e agrária, em um momento em que grandes parceiros econômicos já anunciam boicote a aquisição de produtos do pais, pela negligencia do seu ministério com os assuntos relacionados ao meio ambiente. Sua sugestão não poderia ser mais clara, de aproveitar que os holofotes da mídia e da população estão no coronavirus para "passar a boiada, nas leis ambientas". O ministro Abraham Weintraub um contumaz sem educação, disparou insultos contra tudo e todos, dando enfase aos ministros de STF a quem ele se referiu como "vagabundos que deveriam estar na cadeia". A ministra Damares Alves falou de direitos constitucionais, apoiando pessoas a descumprirem determinações constitucionais , ainda ameaçando governadores e prefeitos de responderem criminalmente por atos aos quais estão respaldados a praticarem. Todos os decretos de isolamento e de restrições, impunham penalidades e todos que descumpriram, ficam sujeitas a elas. Uma sujeição que segundo o presidente tinha que acabar a 'bala', claramente o presidente incita a população a se armar contra essas determinações legais e a partir para o confronto direto. Sem falar que o maior parceiro comercial do pais, foi desrespeitados algumas vezes durante a reunião '22' ao ponto do ministro Paulo Guedes se referir a eles como "é aquele cara que a gente sabe que tem aguentar", uma espécie de primo rico chato. Após a divulgação desse vídeo, vai faltar muito óleo de peroba, para a cara de pau de quem tiver que participar das reuniões com europeus e chineses. Os fatos escancarados nessa reunião vai certamente provocar muitas retaliações, alem de reforçar o boicote de consumidores internacionais mai conscientes. Quanto ao crime de tentativa de interferência na PF é bem verdade o vídeo não explicita o presidente pelo menos diretamente fazendo referencia a Policia Federal, explicita porem, alguns outros e muito mais sérios crimes coletivos.