Obscurantismo... Pastor decreta fim das mortes pelo coronavírus no Brasil

08/04/2020

O tempo do obscurantismo religioso já passou, mais ao que parece o presidente que trazê-lo de volta. Ao convocar o país para um jejum, no último domingo, ele convenceu a alguns de suas boas intenções. Mas ele mesmo ao invés praticá-lo, resolveu mais uma vez levar seu circo as portas do Palácio da Alvorada. Mas uma vez, contrariando as determinações de maioria dos órgãos de saúde pelo mundo, ao invés de fazer o jejum que ele próprio convocou o presidente, provocou aglomeração, fez selfies e tocou em muitas pessoas. Quando se pensava que o espetáculo tinha terminado o presidente, atendendo ao pedido de um "pastor" se ajoelhou enquanto sua claque fazia orações e cantavam louvor. Tudo lindo e maravilhoso, até que o religioso que se denomina pastor determinou que " a partir daquele instante, ninguém mais morreria de covid-19 no Brasil porque o país estaria sendo, abençoado por Deus e. atenção!,.. por Bolsonaro"! Seria ótimo que o Brasil fosse governado por um homem de Deus, que não precisasse tentar provar sua crença, mais que ela fosse percebida por seus atos. Aceitar para si o poder de abençoar a nação é um pouco demais. O religioso vaticinou um milagre a quatro mãos. O que era ruim ficou ainda pior, com o crescente número de mortes nestes dias, mesmo depois do milagre apresentado. As pessoas a partir dessas predições ficam assustadas, como evangélico fico com o que diz a Bíblia "Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. Eis que eu vo-lo tenho predito". Mateus 24:24,25.