Secretaria Especial de Comunicação da Presidência gasta mais de R$ 10 milhões em propaganda inútil 

17/04/2020

Vamos falar em economia doméstica, recentemente a Secom (Secretaria Especial de Comunicação da Presidência), gastou R$ 4,8 milhões em uma peça publicitária, defendendo o fim do isolamento social. A propaganda foi proibida pela justiça, a PGR julgou que não houve publicidade, mesmo com contratação da agência iComunicação, no final ninguém prestou contas do valor pago. Outra vez a secretaria montou uma campanha com o suposto objetivo de "trabalhar para proteger a vida e os empregos". E gasta R$ 5,3 milhões, dos recursos da Secom. Ou seja, o governo gasta mais de R$10, milhões em propaganda, quase 17 mil Auxílios emergenciais. O termo de execução descentralizada da última sexta-feira (10), assinado pelo secretário adjunto de Comunicação, Samy Liberman, e pelo secretário executivo do Ministério da Cidadania, Antônio José Barreto de Araújo Junior, indica que os recursos da Secom foram destinados à Agência Calia. Em tempos de crise, gastar com o essencial é a receita, isso é economia básica.