O feitiço contra o feiticeiro

19/05/2020

Será o feitiço se voltando contra o feiticeiro? O presidente Bolsonaro em março afirmou direto de Miami, onde se encontrava em viagem oficial que possuía "provas" de que a eleição de 2018 foi fraudada, que ele teria sido eleito em primeiro turno. Ele declarou que mostraria essas provas "brevemente". Minha campanha, eu acredito que, pelas provas que tenho em minhas mãos, que vou mostrar brevemente, eu tinha sido, eu fui eleito no primeiro turno, mas no meu entender teve fraude. E nós temos não apenas palavra, nós temos comprovado, brevemente eu quero mostrar, porque nós precisamos aprovar no Brasil um sistema seguro de apuração de votos. Caso contrário, passível de manipulação e de fraudes". Dois meses já se passaram e a verborragia caiu no esquecimento, nem mesmo o TSE, busca por essas provas. Essa não é primeira acusação,logo depois do primeiro turno, o presidente gravou um vídeo afirmando que havia uma "possibilidade concreta" de perder as eleições para Fernando Haddad (PT) por fraude nas urnas eletrônicas. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou depois a retirada do vídeo das plataformas digitais. Verdadeiras tentativas de fechar cortinas de fumaça na frente do povo. O presidente, seu clã e seus ministros são especialistas que desferir ataques sem provas, o que é lamentável.

Agencia Reuters.