A linha que separa liberdade de expressão e a Lei de Segurança Nacional

18/06/2020

Não é a primeira vez que o cartunista Renato Aroeira, se envolve na justiça com o presidente. Quando ainda candidato o cartunista explicou ter feito outras charges com Bolsonaro em relação ao nazismo e que nem por isso motivou nenhuma perseguição. "fiz uma charge com Bolsonaro ainda candidato, também usando a cruz nazista, e ele me processou alegando grande tristeza, infelicidade e angústia moral por ter sido ofendido e caluniado. Após análise do processo, a juíza declarou "uma pessoa que tira fotos com alguém fantasiado de Hitler e não se sente constrangido, não vai se sentir constrangido com aquela charge". De acordo com Aroeira essa sentença foi mortal, ele espera um resultado semelhante dessa vez. Já existe até uma certa jurisprudência formada. É patente o uso de dois pesos e duas medidas no que diz respeito ao entendimento do governo. Quando seus apoiadores plantam mensagens falsas (fakes news) nas redes sociais, pedem o fechamento de instituições ou ainda ameaçam pessoas. Isso é liberdade de expressão. Quando um cartunista, no exercício de sua profissão, faz um cartum que desagrada o governo, é acusado de cometimento de crime contra a Lei de Segurança Nacional. Isso do governo que prega a liberdade de expressão, não poderia ser mais incoerente.