Até aqui nos ajudou o Senhor

Grupo de risco? sim. Peso morto? não. O país esta envelhecendo

10/04/2020

A equipe de comunicação da presidência da república deveria fazer o dever de casa e não deixar o presidente ir a público e conceder uma entrevista sem estar bem preparado para ela, mesmo que com um apresentador que "pegue leve". Durante a entrevista concedida ao apresentador José Luiz Datena por telefone na quarta-feira(8) o presidente falando de uma possível medida, pondo fim ao isolamento social (que ele não pode editar) soltou a seguinte pérola ao falar de um dos grupos de risco, "Com relação aos mais velhos, que cada família cuide dos seus idosos, não pode transferir isso para o Estado". Uma declaração desrespeitosa a uma parte da população que deu seu melhor pelo país, foram muitos produtivos e ainda hoje em sua maioria não são peso morto. O presidente está completamente equivocado. O estado tem sim, dever de cuidar desses idosos, pelo menos é o que diz a Constituição Federal e o Estatuto do Idoso, destinado a regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos. Nos artigos 1º e 2º o legislador deixa claro "o idoso goza de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, (...) assegurando-se-lhe, por lei ou por outros meios, todas as oportunidades e facilidades, para preservação de sua saúde física e mental e seu aperfeiçoamento moral, intelectual, espiritual e social, em condições de liberdade e dignidade." e "é obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do PODER PÚBLICO assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária." Sei que o presidente não é chegado a livros com muita coisa escrita, mas seus assessores precisavam impedir que ele passasse esse tipo de constrangimento de mostrar que não conhece este documento instituído no dia 1º de outubro de 2003. Só para concluir, dados do IBGE mostram que de 2005 a 2015 a proporção de idosos de 60 anos ou mais na população do Brasil passou de 9,8% para 14,3%, a população brasileira está em trajetória de envelhecimento e, até 2060, o percentual de pessoas com mais de 65 anos passará dos atuais 9,2% para 25,5%. Ou seja, 1 em cada 4 brasileiros será idoso. É obrigação do PODER PÚBLICO sim, assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária. Fica nossa alerta a Secom da presidência.