Auditoria da Cleary Gottlieb não encontrou irregularidades no BNDS

31/12/2019

Desde a posse deste governo em janeiro desse ano, iniciou-se uma verdadeira cruzada atrás da Caixa Preta do BNDS. Houve até emissões justificadas pela demora em encontrar vestígios da ingerência na instituição. Depois de mais de 3 milhões de mensagens, email e ligações telefônicas serem consultadas, 400 mil documentos analisados e dezenas de pessoas ouvidas. Terem passado por auditorias interna e externa. Só conseguiu trazer a tona, as injustiças cometidas contra a instituição e seus funcionários. Nenhum sinal de comportamentos ilícitos que estivessem de alguma maneira relacionados à corrupção ou a favorecimento, ou ainda ingerência indevida nos processos da instituição foram detectados pela auditoria. Apesar da auditoria realizada pela Cleary Gottlieb conceituada empresa no ramo, não apontar evidências de irregularidades o Ministério Público Federal ingressou com uma ação de improbidade administrativa alegando que o banco teve prejuízo de R$ 4 bilhões. Esse prejuízo é tão irreal, que a atual direção do BNDES pretende se desfazer de boa parte da carteira de investimentos. O que corrobora que o rumo das ações feitas durante outros comandos, da instituição estavam perfeitamente legais, de forma que existe um estoque de ações que podem ser vendidas com belos lucros. Outra tentativa de esvaziar as atividades da instituição é a possibilidade do BNDES perder a gestão do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). Isso será uma decisão míope do atual governo. Esperamos que essa possibilidade seja revista porque seria miopia e, mais do que isso, um certo fundamentalismo econômico.