Até aqui nos ajudou o Senhor

De acordo com o ministro Moro ato de Bolsonaro não é obstrução a justiça 

06/11/2019
Foto Divulgação/JornaldaCidade Online
Foto Divulgação/JornaldaCidade Online

De acordo com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, ao recolher as gravações da portaria do condomínio onde mora na Barra da Tijuca RJ. Bolsonaro não cometeu nenhum crime. Moro vê esse ato como um caso de "personalidade forte". De acordo com a interpretação do ministro "Seria obstrução de Justiça destruir a prova. Tirar cópia não é obstrução de forma nenhuma", disse Moro em jantar organizado pelo ite Poder 360. Moro diz ter havido "exagero da oposição e da imprensa" em relação às declarações do presidente sobre os áudios. "Você tem um documento que te prova inocente. Se você for lá, tirar uma cópia, e o original ficar lá, não é obstrução", acrescentou ele. E para variar, fuzila gratuitamente a oposição "A imprensa segue fazendo suas matérias, não existe cerceamento da liberdade de expressão. Quem tinha uma pauta de controle social da imprensa era o concorrente", disse. Segundo uma reportagem do G1, Bolsonaro afirmou: "Nós pegamos, antes que fosse adulterada, ou tentasse adulterar, pegamos toda a memória da secretária eletrônica que é guardada há mais de ano. A voz não é a minha". Mas já se sabe que seu filho Carlos divulgou uma gravação que não é a do porteiro que mencionava "seu Jair", como se fosse a voz do porteiro que fez a denúncia.