Ministro da Educação faz o que o "mestre mandar" e desfere novo ataque a imprensa

26/01/2020

O ministro sem Educação Abraham Weintraub, voltou às redes sociais, para seguir o mestre e disparar um novo ataque a imprensa. Dessa vez o alvo foi o jornalista Marco Antonio Villa, a quem o ministro destratou chamando-o de "boca de esgoto". No vídeo o ministro fez um comentário, politicamente incorreto. "O que você pode esperar de uma pessoa que ninguém quer sentar perto dela, todo mundo quer distância. Será que é só essa coisa carregada ou tem a fama de mau hálito também? Se for mau hálito, eu não vou lá enquanto ele estiver. Mas para as próximas pessoas que quiserem passar pelo suplício de uma entrevista, assim tenta usar um 'produtinho' aí, que talvez melhore. Não sei se vai ser o suficiente, ô boca de esgoto", continuou Weintraub, mostrando uma embalagem de enxaguatório bucal. Se não conseguir, aqui ó, água sanitária", insistiu, também mostrando o frasco do produto. Em outro vídeo o ministro chama o comentarista de "barraqueiro". Weintraub fala ainda da demissão e readmissão do Villa na Jovem Pan e questiona o motivo da recontratação: "Quem foi que pressionou para a Jovem Pan recontratar esse cara?" Em dezembro do ano passado, a CGU teria detectado irregularidades em uma licitação de R$ 3 bilhões do MEC, que poderiam gerar prejuízos milionários aos cofres públicos, recomendando a suspensão do pregão eletrônico. Segundo a auditoria, a licitação estimou um número de computadores maior do que o necessário, usando critérios sem base técnica. A CGU aponta ainda que não houve "ampla pesquisa de mercado" sobre os preços dos equipamentos, provocando "risco de sobrepreço dos itens a serem contratados, com possibilidade de grandes prejuízos aos cofres públicos". Isso irritou o ministro Weintraub, que reclamou que o jornalista estaria propagando mentiras sobre irregularidades detectadas pela Controladoria-Geral da União (CGU) na compra de computadores feita pelo MEC para escolas do país. Ele deveria era esclarecer essa questão na CGU.