Governador de Minas Gerais Romeu Zema tem seu primeiro atrito partidário. Começa a conhecer a diferença entre o público e o privado

22/02/2020

Porque os atritos partidários estão mais frequentes? Primerio o PSL rompe com o presidente ou o presidente com o PSL Bolsonaro agora  luta para montar um novo partido o Aliança pelo Brasil. Desta vez a direção nacional do Partido Novo do governador Romeu Zema, defende o "veto" ao projeto do governador. A manifestação do Novo externou a discordância de sua direção nacional do partido com o reajuste negociado diretamente entre o Executivo e a segurança pública. "(...) O partido entende o direito dos servidores de pleitearem reajustes, mas a situação fiscal atual de Minas, que herdou uma condição de calamidade financeira, não permite qualquer gasto adicional. Defendemos que o governador vete todos os reajustes aprovados na ALMG, inclusive aqueles destinados à área de segurança." Entretanto mesmo após a manifestação da direção do partido, o governador Romeu Zema reiterou que pode aprovar sancionar os reajustes. de acordo com informações do governo as forças de segurança pública estão sem recomposição salarial desde 2015, diferentemente de outras categorias, como por exemplo na saúde e na educação. Essa última administração, obteve aumento de 46,75%. O governador ainda declara "O impacto financeiro (do reajuste para a segurança pública) já foi avaliado e o encaminhamento do projeto está em conformidade com o atual entendimento do Tribunal de Contas do Estado sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal. As emendas incorporadas ao projeto pelo parlamento mineiro ainda não foram analisadas pelo Executivo. Elas serão analisadas levando em consideração a situação financeira do Estado e a constitucionalidade das mesma