Até aqui nos ajudou o Senhor

Uma satisfação em propagar o caos

23/02/2020

Queremos esclarecer aqui, que não somos de esquerda, direita ou de centro, somos a favor da democracia e é essa democracia que estamos vendo sendo atacada a todo tempo. O autoritarismo do presidente Bolsonaro está ficando sem limites. Ontem ele declarou com enorme satisfação, "Implodi o Inmetro. Implodi. Mandei todo mundo embora. Por quê? Há poucos meses assinaram portaria para trocar tacógrafos. Em vez de ser o normal que está aí, inventaram um digital. Ele é aferido de dois em dois anos. Passaram para um. Mandei acabar com isso aí". O tacógrafo é um instrumento registrar dados sobre a condução dos veículos, como distância percorrida, velocidade desenvolvida, e tempos de parada e direção. Um estudo mostra que os atuais instrumento estão completamente obsoletos e não fornecem as informações necessárias em caso de acidentes. De forma autoritária sem nenhum estudo técnico a não ser o achismo, o presidente desmerece uma autarquia federal que sempre executou as políticas nacionais de metrologia. E presta um excelente serviço na fiscalização do cumprimento de normas técnicas, métodos, e instrumentos de medição e unidades de medida. Mais um órgão sofre a ingerência desqualificada do presidente. Antes de demonstrar uma satisfação com o desmantelamento, deveria solicitar estudos técnicos que comprovasse a necessidade da mudança. "Quer conhecer...de poder". O jornalista aliado do presidente Bolsonaro, J.R. Guzzo escreveu no Estadão e postou em seu Twitter "O presidente Jair Bolsonaro, caso fosse capaz de parar para pensar cinco minutos no que é bom para ele e ruim para os seus inimigos, como fazem nove entre dez pessoas que estão num cargo como o seu, tomaria a partir de zero hora desta quinta-feira a seguinte decisão: não abrir mais a boca para brigar com ninguém até o dia 31 de dezembro de 2022".