Até aqui nos ajudou o Senhor

Fakes News sobre o coronavirus infestam as redes

01/03/2020

Depois da confirmação do primeiro caso de coronavírus no Brasil, agora são dois, já que o ministério da Saúde confirmou o segundo caso do coronavírus no Brasil. Um homem de 32 anos que chegou na quinta-feira (27) de Milão na Itália. Tem se espalhado as Fakes News, por meio de textos imagens e áudios, que só servem para confundir a população. Circula, inclusive, receitas mirabolantes de cura, o que até o momento não foi encontrada pela ciência mundial. O FATO hoje é "não existe nenhum tratamento efetivo para o coronavírus, não existe um remédio. Essas medidas caseiras, vitamina C, chá de erva doce, são lendas que, na prática, a gente não tem nenhuma comprovação. Isso é fake news mesmo. Não existe um remédio específico para o tratamento, apenas suporte, ou seja, os cuidados para evitar o agravamento da doença", explicou o infectologista Werciley Júnior. Alguns vídeos chegam ao absurdo de contra indicar o uso de álcool gel. O suposto cientista do vídeo "químico autodidata" diz, " o álcool gel é ineficaz para prevenir a infecção pelo coronavírus e mais perigoso do que não passar nada". O Ministério da Saúde recomenda que a melhor forma de prevenir o novo coronavírus é a partir de uma boa etiqueta respiratória. Isso quer dizer cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço descartável; evitar tocar nos olhos, boca e nariz com as mãos não lavadas. Além disso, a orientação é limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência e evitem o contato com pessoas doentes. O infectologista do Instituto Emílio Ribas Francisco Ivanildo, conclui "Não é porque foi a sua mãe, o seu amigo, a sua esposa que mandou aquilo dali pelo Facebook ou compartilhar pelo Whatsapp que aquilo é verdadeiro. É muito importante a gente procurar checar a veracidade de um vídeo que a gente recebe pelas redes sociais, antes de mandar aquela informação para frente". O Dr. Delmir Gouvêa, diretor do Departamento Geral de Polícia Especializada do Rio de Janeiro, participou da coletiva e anunciou que a Polícia Civil irá investigar pessoas que divulgam intencionalmente notícias falsas sobre o coronavírus. A conduta pode caracterizar contravenção penal ou mesmo crime, dependendo das características e do resultado produzido. O procedimento que deverá ser encampado pelas demais especializadas do país. Para saber qual informação é ou não verdadeira e tirar dúvidas sobre o novo coronavírus, acesse o site saude.gov.br/coronavirus