Até aqui nos ajudou o Senhor

Hoje todo mundo usa a internet, e todos estão sujeitos. Os mais vulneráveis são os mal informados. Quanto menos conhecimento a pessoa tem, mais está suscetível a sofrer golpes

13/11/2019

Embora eles ocorram durante todo o ano, neste período de final de ano, a uma proliferação intensa dos crimes virtuais .Com o aumento progressivo das vendas online, os cibercriminosos aproveitam para aumentar suas ações. Há desde emails com malware até lojas falsas que depois de realizarem grandes vendas simplesmente são excluídas e o consumidor fica sem o produto. É ao inverso vida imitando a ficção, fatos que faziam parte do imaginário de roteiristas, passaram a fazer parte do dia a dia da população. Na nossa Coluna Direito do Consumidor dessa semana, vamos falar de golpes digitais. As vantagens da tecnologia facilitam e muito nossa vida, comprar sem precisar sair de casa, efetuar pagamentos por meio de aplicativos ou pela conta bancária, são apenas algumas dessas comodidades. Infelizmente associada aos benefícios, vieram também os diversos golpes digitais. São tantos que seria preciso muito tempo para enumerá-los e não teríamos sucesso, pois diariamente outros golpes são desenvolvidos. "o mal não dorme". O e-commerce, popularmente conhecido como compras online, parece que chegou para ficar, lojas físicas para não perderem espaço já estão neste mercado digital. O problema é que a carona deste sucesso muitas lojas falsas são lançadas nas redes. Muitas vezes elas usam homônimo de lojas já consagradas pelo consumidor, fazem muitas vendas e depois simplesmente excluem o site deixando consumidor sem dinheiro e sem produto. O Black Friday é uma temporada propícia para esse golpe. A alguns anos o mercado de tênis foi invadido por uma marca que usava a preferência da 'Adidas' para lançar o Abidas e enganou muitas pessoas que só percebiam depois da compra efetuada, mesmo pagando menos que 50% do valor do original. Existe o golpe dos Aplicativos que oferecem mega vantagens, apresentados como um produto promissor para facilitar sua vida, muitos são feitos exclusivamente para roubo de dados de smartphones. "Participe dessa Super Promoção" quantas vezes você recebeu essa mensagem? Neste golpe, os criminosos se passam por uma grande loja, por companhia aérea e mais recentemente redes de supermercados e lançam uma promoção na rede. Para participar do sorteio a pessoa precisa informar vários dados pessoais, que depois são usados para golpes. Bem parecido como os concurso são os phishings uma maneira e fazer a pessoa informar os dados pessoais achando que era para uma finalidade, quando na verdade estão sendo roubados por criminosos. Isso é feito mandando emails falando que a pessoa ganhou um prêmio ou que recebeu uma encomenda que precisa ser rastreada e para isso é necessário postar os dados, etc. Outras duas modalidades de golpe digital que tem preocupado as autoridades é o 'Smishing' ou phishing por SMS, criminosos se passam por instituições bancárias e mandam email cobrando dívidas e oferecendo descontos inacreditáveis, neste caso realmente não acredite. É solicitado que a pessoa faça uma ligação e informe os dados para regularizar. Como é um pedido do banco, muitos acabam ligando e sendo roubados. O que cai do céu para nós e de graça é a chuva, qualquer outra coisa desconfie. Um levantamento feito pela Associação SaferNet Brasil, em parceria com MPF, contabilizou 133.732 queixas de delitos virtuais em 2018, segundo os dados aproximadamente 366 novos crimes cibernéticos são registrados diariamente. A boa notícia para o consumidor é que desde a criação da Lei lei 12.737 de 2012, a chamada lei "Carolina Dieckmann", a polícia ganhou uma ferramenta para criminalizar as ações desses golpistas, a lei torna entre outras coisas, crime a invasão de aparelhos eletrônicos para obtenção de dados particulares. Para Titular da Delegacia de Combate a Crimes Cibernéticos de Belo Horizonte, é mentira quem pensa que a internet é uma terra sem lei, uma vez que a polícia tem os meios para rastrear e descobrir de onde essas infrações partem. Ele lembra que todo crime feito na vida real é suscetível de ser praticado na internet também. Nesse caso, por exemplo, a pena de um estelionato que é cometido no ambiente virtual é a mesma do que é executado na rua. Por hora a Delegacia  Especializada  em Cmbate a Crimes Ciberneticos  dispoe de uma equipe baseada em Belo Horizonte, é pouco para atender a demanda, mas todos os agentes trabalham ativamente na solução desses tipos de crimes. Pode confiar!