Até aqui nos ajudou o Senhor

Ninguém sabe de onde vem os dados da segurança publica do estado...

27/11/2019

O governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel, um dia após divulgação dos assustadores dados que apontam recorde nas ações com morte da polícia no Rio de Janeiro em 2019, disse que o aumento do índice é resultado de sua política de segurança combativa. "Evidente quando se pergunta sobre o aumento da letalidade praticada por policiais, o resultado é exatamente um reflexo de uma política combativa como nunca antes foi realizada no estado do Rio de Janeiro" afirmou durante audiência no Senado sobre violência. O governador aponta que de acordo com uma pesquisa, os números de homicídios dolosos chegaram ao menor patamar da série histórica, iniciada em 1991. Entretanto a mesma pesquisa aponta segundo um levantamento do Instituto de Segurança Pública entre janeiro e outubro houve 1.546 morte por intervenção policial. O que o governador chama de política combativa. Moradores de comunidades e organizações de direitos humanos chamam de aumento de abusos cometidos pela polícia, o que coloca em risco a vida da população e viola direitos dos cidadãos. Um caso emblemático é o da menina Agatha Felix, morta no Complexo do Alemão por um tiro que, segundo a conclusão pericial da Polícia Civil, partiu da arma de um policial militar. De acordo do Witzel não existe falta de oportunidade no Rio de Janeiro, o estado atende às demandas das favelas e que os moradores entram para o crime por escolha própria. Desentendimentos a parte a política de segurança do estado do Rio de Janeiro está perfeitamente alinhada a Operação de Garantia da Lei e da Ordem GLO, com autorização do uso de força letal, amparada pelo excludente de ilicitude. Sem esse artifício o Rio de Janeiro já é recordista nas mortes em ações policiais, imagina com ele...