Até aqui nos ajudou o Senhor

Os fins, não justificam os meios.

28/11/2019

Os fins, não justificam os meios, de acordo com informações do Tribunal Superior Eleitoral, 75 novos partidos encontram-se sendo analisados pelo tribunal e alguns em fase final. Na grande maioria, a dificuldade principal das novas siglas é a comprovação número mínimo de apoio de eleitores, uma das condições legais para a criação de uma legenda. O partido do presidente pode conseguir superar esses obstáculos. Entretanto da forma como está sendo feito, precisa ser avaliado pelo TSE. Em uma viagem oficial do 'presidente da república', ou seja prevista na agenda do governo e custeadas com dinheiro público, Jair Bolsonaro participou junto a primeira dama de culto no templo da Assembleia de Deus em Manaus e, após um rápido discurso, aliados coletaram assinaturas para a criação do partido Aliança pelo Brasil, informa o BR Político. Ao reafirmar sua pretensão de indicar para o STF um ministro evangélico, dentro de uma das maiores denominações evangélica do país, Bolsonaro está flagrantemente cooptando simpatizantes para o Aliança. "O meu governo lutará pela manutenção da família, porque nos governos anteriores colocavam até em livros escolares que (uma família) podia até ser formada por um ajuntamento de duas coisas. E tem duas vagas para ministro do Supremo, e um será cristão e evangélico", disse, referindo-se aos ministros Celso de Mello, que se aposenta em 2020, e Marco Aurélio, que deixa a Corte em 2021. Vai ficar bem difícil separar a atuação do presidente da república com a do presidente do partido. Com o nosso dinheiro vai ficar fácil...