Penúltimo militar no poder fala sobre Bolsonaro

04/03/2020

Nem mesmo os militares aceitam o comando do presidente o General Ernesto Geisel, penúltimo presidente do regime militar no país, em uma entrevista em 1993 disse que Bolsonaro era um mal militar e planejava um golpe. Essa e outras declarações fazem parte de um livro lançado pela FGV. Para Geisel esperar mudança da pessoa Bolsonaro é como esperar que um macaco não atire fezes nos visitantes do zoológico e aprenda a comer de garfo e faca. E como político o general diz "Todo político que começa a se exacerbar em sua ambições, logo imagina uma revolução pegando carona nas Forças Armadas". O projeto de conclusão das obras que estão paradas, com o apoio do corpo de engenharia da Forças Armadas, talvez seja o que de melhor está sendo feito neste governo. Fora isso o presidente tem demonstrado uma incapacidade política, nunca inigualável, fazendo declarações e informando dados sem nenhuma comprovação, fazendo acusações sem provas e atacando mesmo os aliados que se colocam contra suas ideias. Esperava-se que os militares que participam do governo pudessem fazer a diferença, aconselhando o presidente, porém o general Geisel disse "Não contemos o Bolsonaro, porque o Bolsonaro é um caso completamente fora do normal, inclusive um mau militar".