Até aqui nos ajudou o Senhor

A continuar como está até quando governo se aguenta?

31/10/2019

O Ex-Secretário Geral da Presidência, demitido pelo próprio presidente, em pouco mais de um mês após ter assumido o cargo, Gustavo Bebianno, parece que ainda não digeriu isso completamente. Em uma entrevista ao Congresso em Foco, ele afirma que não vê como o governo encerrar este mandato de forma regular. "Infelizmente, o que vejo hoje me preocupa. Não vejo como o governo dele possa chegar ao final de uma maneira normal, pacífica, porque ele e os filhos alimentam essa beligerância. Veja agora o episódio com o PSL e o vídeo do leão e das hienas. É um negócio tão beligerante e personalista, mesquinho, egoísta e tão burro, sem estratégia, sem nada (...) Se pegar a agenda presidencial, você vai ver que não tem trabalho nenhum em benefício do Brasil, zero. Por conta desse quadro muito preocupante, não vejo como ele possa chegar ao fim de maneira pacífica", disse. O que vê segundo Bebiano, são três opções de final de governo "ou vai buscar a ruptura institucional, ou vai renunciar ou vai acabar recebendo processo de impeachment. O quadro geral em 2019 é bastante diferente de 1964, principalmente com o avanço da tecnologia da comunicação, o povo está muito mais esclarecido e bem menos submisso razão pela qual uma ruptura institucional seja a opção mais distante, embora seja cogitada por seus filhos, seu guru Olavo Carvalho e vários assessores próximos, sem ser desmentida por ele (ele se silencia). A renúncia por motivos óbvios é quase impossível, restando então o processo de impeachment, o certo é, que fica a cada dia impossível se manter mais três anos nesse ritmo. O Brasil precisa ficar de olho, ou tudo vai se resolver conforme a receita de Eduardo Bolsonaro, com um cabo e um soldado. 

Fonte: 247