Até aqui nos ajudou o Senhor

Acendeu o sinal de Alerta!

01/12/2019

O Distrito Federal já começa a funcionar, como se o Natal fosse nessa semana. O que já acontecia com sua morosidade habitual vai ficando ainda mais lento. O que indica que grande parte das demandas do governo, não sejam alcançadas agora em 2019. Ao chegar 2020 as expectativas de um cenário político favorável também não é promissora. A dificuldade de diálogo republicano com o Congresso deve permanecer. Com a formalização da Aliança pelo Brasil, novo partido do governo, a segunda maior legenda da casa vai enfraquecer, já que a legenda forçosamente irá retirar quadros do PSL. Seu novo partido deverá ser formado por um senador, seu filho Flávio Bolsonaro e cerca de trinta deputados, número sensivelmente inferior aos do PSL após a eleição de outubro de 2018. Isto só tende a aumentar as dificuldades para aprovação de projetos considerados fundamentais por Bolsonaro e sua equipe. Tudo isso ainda na dependência do Aliança conseguir obter o registro no TSE a tempo hábil. Disputar as eleições municipais 2020 parece improvável. Dentro da tradição política brasileira, nenhum parlamentar irá apoiar qualquer projeto contra os municípios, seus redutos eleitorais. Os parlamentares sabem que seu retorno ao congresso está sempre diretamente ligados a uma forte base municipal. Dentro dessa mesma tradição o que não for votado até o meado de setembro entra em ritmo de espera, porque muitos parlamentares deverão ter participação ativa nas eleições municipais. Se 2019 foi um ano sem muitas realizações do governo, 2020 não apresenta sinais de melhora. O presidente tem tido uma grande dificuldade para fazer os congressistas entenderem seu projeto político, isso mesmo no bloco aliado. Somado a isso seus calotes nas verbas de emendas parlamentares prometidas, seu isolamento internacional, seus constantes ataques e de seus ministros, que passam pelas instituições, pela imprensa e até por eleitores que ousam discordar de suas ideologias, são fatores que só fazem crescer sua dificuldade administrativa. Dificuldade que só agrava por não saber ouvir e muito menos debater, no campo das ideias e não do autoritarismo. 2020 será um termômetro político para o governo, se ele quiser passar no teste das urnas, terá que urgentemente repensar nos caminhos traçados. Se não conseguir bons resultados sócio econômicos e conseguir uma estabilidade política, poderá ter grandes reflexos negativos. Fica aqui um Alerta, nós ficaremos "DeOlho".