Até aqui nos ajudou o Senhor

Prova do Enem tem erro pequeno, fácil de ser consertado, só não explicam como

19/01/2020

Poucos dias depois de se auto elogiar, dizendo que o Enem do 2019 foi o melhor, etc, etc. O ministro da Educação teve que voltar atrás e reconhecer um erro no gabarito das provas. Em uma coletiva de imprensa Weintraub, fez o que a equipe do governo faz de melhor, transferir a responsabilidade. Ele e o presidente do Inep (O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), Alexandre Lopes, explicaram (ou tentaram) que o erro foi provocado pela gráfica responsável pela impressão da prova. "Nós encontramos até o momento quatro inconsistências de notas. Nós vamos corrigir e continuaremos durante todo o final de semana rodando nossa base de dados para identificar outros possíveis casos de inconsistências", afirmou. Nem é de se espantar que, em se tratando de um exame tão amplo a nível nacional e que envolva tantos participantes, umas poucas falhas ocorram, os 1% e completamente aceitável. O que é inaceitável é o ministro Abraham Weintraub, que frequentemente tropeça nas palavras, tropece também nos números. Em sua justificativa ele disse "Um grupo muito pequeno de pessoas teve o gabarito trocado quando foi fechado os envelopes. Uma inconsistência fácil de ser consertada. Estamos falando aí de alguma coisa como 0,1% das pessoas que fizeram - dos milhões, 0,1%, número baixo. Então, para 99% das pessoas está tudo bem", disse Weintraub. Então ficamos assim 0,1% tiveram problemas que será facilmente consertado, 99% tá legal, e 0,9% não entram na conta do ministro. Não é a primeira vez que ele mostrou que não domina bem o tema da sua pasta, ano passado em explicações no congresso sobre o contingenciamento o ministro também tropeçou nos percentuais simples. O Inep colocou à disposição um endereço de e-mail para que os alunos tirem dúvidas sobre suas notas e possam pedir a verificação de sua situação. O endereço eletrônico é enem2019@inep.gov.br.