Até aqui nos ajudou o Senhor

O caroço debaixo do angu

18/02/2020

O caroço debaixo do angú na decisão do presidente em não realizar novos concursos públicos, possivelmente é uma forma de pressionar o Congresso a aprovar a reforma administrativa. O presidente e seu ministro da Economia acreditam que o aumento do volume de pedidos de aposentadorias de servidores previsto para os próximos anos, deverá elevar a sobrecarga de trabalho e as dificuldades de atendimento à população, facilitando a aprovação das medidas que atingem diretamente as carreiras do serviço público. "Uma vez que se começa concurso público, e a pessoa entra numa determinada regra, aquilo está praticamente definido pelos próximos 30 anos. Enquanto não aprovar a reforma, não vamos ter espaço para fazer novos concursos", disse o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida. Somente esse ano acredita-se que pelo menos 20 mil servidores se aposentem, para os próximos dois anos serão quase 40 mil a saírem do serviço público. O governo só pretende abrir novos concursos se o ingresso de novos servidores na máquina pública já for sob as novas regras. Ainda conforme a reportagem, além do crescimento nos pedidos de aposentadoria, uma outra aposta que deve ser utilizada como forma de pressão pelo atual governo está na ampliação da digitalização dos serviços públicos.