93% de toda pesquisa nacional, nasce dentro das UFs.

12/12/2019

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, foi convocado ontem (11) à se explicar na câmara de deputados, sua acusação de que universidades federais produziam drogas. Para tentar provar suas acusações o ministro apresentou uma série de matérias veiculadas na imprensa. As reportagens, tratavam do 'consumo de drogas na UFMG, na UnB. A reportagem porém não prova nenhuma participação da instituição nesse processo, nem mesmo o envolvimento de 10% de universitários destas Universidades. O ministro levou uma reportagem do Marcelo Rezende. Onde ele noticiou, ninguém lembra mais quando, a prisão de três estudantes e a destruição de uma plantação de maconha e frisou várias vezes "dentro do Campus da UnB", logo após a reportagem ficou provado que a área pertence à Marinha do Brasil e tantos policiais quanto jurista foram unânimes em afirmar que não existia vínculo algum com as Universidades acusadas hoje pelo ministro. De acordo com o líder do PSOL, o que o ministro tenta, é tirar o foco dos péssimos dados de execução orçamentária que comprovam a péssima gestão do ministério da Educação. Ao acusa as UFs de consumo de drogas o ministro deixa de atentar para o fato de que elas correspondem a apenas 25% das vagas universitárias do país. Nas outras 75% que são privadas não existe drogas? Ao atacar as UFs e especialmente a UFMG, UnB, o ministro ataca cerca de 90 mil universitários e 6 mil professores. O ministro não quer aceitar é que 93% de toda pesquisa nacional, nasce dentro das UFs. O líder do PSOL conclui, enquanto vossa excelência está preocupada em colocar polícia em campus universitário, o governo ainda deve a sociedade, explicações sobre os 39 Kg de cocaína no avião da FAB, da comitiva presidencial.