Até aqui nos ajudou o Senhor

Dos 27 veadores de Uberlândia 20 deles tem prisão decretada pela justiça, desse jeito a casa fecha

17/12/2019

O ministério Público de Minas Gerais realizou na manhã de ontem (16) uma operação para apurar desvio de verbas públicas de gabinetes da Câmara de Vereadores de Uberlândia. Dos 27 vereadores que compõem a casa 20 foram alvos de mandados de prisão. Outras 20 pessoas entre funcionários, assessores da câmara e donos de gráficas também tiveram mandados emitidos. Até por volta das 10h,18 vereadores já haviam sido conduzidos a delegacia da cidade e outros dois ainda não haviam sido encontrados. 15 dos outras mandados também já haviam sido cumpridos. A justiça ainda expediu 42 mandados de busca e apreensão para documentos e equipamentos na residência, nos estabelecimentos e na sede da câmara. O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do MP-MG e responsável pela operação, informou que as investigações levantam desvio de verbas indenizatórias de gabinete, por meio de notas fiscais de serviços gráficos de acordo com os investigadores "De janeiro de 2017 a dezembro de 2019 os vereadores gastaram mais de R$ 4 milhões em serviços de impressões. Constatamos que essas gráficas não tinham capacidade de prestar esse tipo de serviço que estão nas notas. Não se compravam insumos usados. Algumas funcionam, sim, regularmente, mas não compravam material suficiente dos descritos nas notas fiscais. As notas são rigorosamente do mesmo valor para vereadores diferentes", explicou. Ainda de acordo com o promotor de Justiça Daniel Marotta Martinez, o dono de uma das gráficas investigadas afirmou ao Gaeco ter uma empresa de fachada, que é utilizada para desvio de verbas indenizatórias. Com base nestas informações, o Gaeco começou a verificar quais outras gráficas eram utilizadas pelos parlamentares já presos. São mais de R$1 milhão/ano que escorreram pelo ralo e que poderiam ter um destino mais útil a cidade. Parabens ao Ministério Público de Minas Gerais.