Ministerio Publico RJ reabre investigação caso Queiroz

19/12/2019

O Ministério Público do Rio de Janeiro, reiniciou as investigações, originadas do relatório do Coaf que apontava "movimentações atípicas" de R$ 1,2 milhão nas contas de Queiroz, ex-assessor de Flávio quando era deputado estadual. Essas investigações foram suspensas por uma decisão do Ministro Dias Toffoli que paralisou todas as operações de investigações que tivessem por base repasses de dados do Coaf. Com a decisão do STF que os dados podem ser compartilhados sem solicitação antecipada de justiça o MPRJ solicitou a expedição de diversos mandados de busca e apreensão em endereços ligados a Fabricio Queiroz, ao senador Flávio Bolsonaro e à ex-mulher de Jair Bolsonaro, Ana Cristina Valle. Outros nove parentes de Cristina também tiveram mandados expedidos para o sul do estado, na cidade de Resende. A investigação ainda quer saber, se parte dessa movimentação é prática de rachadinha no gabinete do na Alerj quando o Senador Flávio Bolsonaro ainda estava deputado estadual, lembrando que Queiroz já confessou a prática inocentando o então deputado. O MP também inclui nos mandados o recolhimento de celulares e documentos dos investigados.