Até aqui nos ajudou o Senhor

Chefe da Secom quer fazer uma transferência societária das suas quotas para a esposa. ARMAÇÃO!

15/02/2020

O chefe da Secom do governo é mesmo um corrupto, investigado pela PF acusado de promover conflito de os interesses entre público e privado na administração federal e favorecer emissoras de TV e agências de publicidade que atendem ao governo, O descarado pediu para transferir suas cotas na sociedade para a própria mulher, a publicitária Sophie Wajngarten. Uma comissão de ética (?) da presidência o convocou a esclarecer as denúncias, por isso na tentativa de evitar um revés na sessão marcada para o dia 18. O secretário quer transferir seus 95% da sociedade na FW Comunicação, para a esposa. Mesmo que ele receba a autorização para esta armação, o fato do conflito de interesse permanece já que são casados em regime de comunhão parcial de bens. A empresa tem contratos com emissoras como a Record e a Band, além de agências como a Artplan. A suspeita é de que ele beneficie essas empresas nas comunicações oficiais e receba um bônus por isso.