Até aqui nos ajudou o Senhor

Tá devendo paga...

22/11/2019

É hora de cumprir o prometido. Após a promulgação da Reforma Previdenciária os deputados ameaçam não votar nenhuma proposta de interesse do Palácio, até que o governo libere as prometidas emendas parlamentares prometidas aos que apoiaram a proposta. Na época nós até falamos que era as velhas praticas políticas, tomando espaço dentro do Novo Governo, e fomos bastante criticados. O presidente disse mais uma vez que solicitaria ao ministro Guedes que acelerasse a liberação dos recursos orçamentários para as bases eleitorais dos congressistas. A insatisfação é tão grande que o deputado Paulinho da Força chegou a declarar, "O governo prometeu emendas para aprovar a reforma da Previdência, mas não cumpriu o acordo. As emendas não foram pagas. Por isso, o pessoal não está com muita vontade de votar aqui", segundo Paulinho, dos 370 deputados que votaram a favor da reforma da Previdência, 304 não tiveram um centavo sequer liberado até o momento. O deputado Paulinho da Força disse ainda que estava bem à vontade, para falar sobre o assunto porque havia votado contra a reforma e portanto não fazia parte desse grupo. O Congresso em Foco procurou o líder do governo na Câmara, Major Vítor Hugo, para comentar o assunto, mas não teve retorno. O governo tenta ter a resposta a necessária congresso, sob o argumento de que não faz "toma lá, dá cá", sério isso? De acordo do o deputado Paulinho "Estou há 13 anos no Congresso e nunca vi um governo tão desarticulado. A presença do governo sempre foi muito forte aqui. Agora não tem governo. É tudo muito aleatório. Os deputados do chamado Centrão que reúne o Solidariedade, o DEM, o PP, o PL e o PRB, já ameaçam impor derrotas ao governo, votando contra suas propostas e vetos.