Até aqui nos ajudou o Senhor

A falta de ação frente a fatos concretos, essa é a falha desse governo

28/11/2019

Infelizmente a falta de apoio a fiscalização por parte principalmente do Ibama, colocou a grilagem como a principal responsável do desmatamento da floresta amazônica, segundo o Instituto de Pesquisas da Amazônia (Ipam), que analisou os dados do Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (Prodes) 35% das áreas desmatadas teve origem na ação de grileiros. De acordo com a analise dos dados esse percentual aconteceu em áreas não-designadas e sem informação, o que indicaria grilagem. O número, no entanto, pode ser ainda pior, caso seja acrescentado o desmatamento em áreas protegidas, chegando a 44% do total, segundo a instituição. A diretora sênior de Ciência do IPAM  Ane Alencar explica. "Precisamos preservar essas florestas para garantir que as chuvas continuem a alimentar o campo brasileiro e a geração de energia. Isso se dá com fiscalização eficiente e constante, além da destinação dessas áreas para conservação". A grilagem na região amazônica e como uma praga e se mantem ano a ano. Os dados divulgados pelo Inpe nesse mês mostraram que o desmatamento na Amazônia cresceu 30% no período de 1º de agosto de 2018 a 31 de julho deste ano, passando de 7.536 km² para 9.762 km². Esse é o terceiro maior crescimento da história, perdendo apenas para 1995 (95%) e 1998 por enquanto (31%). Os dados mostram que essas ocorrências sempre aconteceram e já chegaram a ser maior 1995, o que esta na frente da discussão é a falta de ação dos órgãos do governo.