Prefeito faz entrevista seletiva (e não coletiva), barrando colegas jornalistas do G1, GloboNews e da TV Globo

15/12/2019

Infelizmente o mal exemplo se aprende rápido. O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, convocou uma entrevista coletiva para falar sobre o caos no sistema de saúde pública da capital fluminense. De fato o caos generalizou-se na saúde da cidade a partir do início da administração do prefeito e só vem piorando. O quadro de insatisfação é geral tanto dos usuários como dos servidores e não é novidade. Acreditava-se que o prefeito iria dar uma resposta ao quadro, mais sua primeira atitude na coletiva, foi de completo autoritarismo, o prefeito barrou colegas do Grupo Globo, jornalistas do G1, GloboNews e da TV Globo, foram impedidos de trabalhar. O prefeito Crivella, que vem sendo alvo de denúncias frequentes pela imprensa em função do colapso do sistema de saúde do município. 

A defensoria e o Ministério Público do Rio de Janeiro denunciaram na quarta-feira (11) que Crivella teria desviado, congelado ou remanejado de forma indevida cerca de R$ 1,5 bilhão da saúde em três anos, O prefeito alega ser alvo de perseguição política. Entre acusação do MP e defesas da administração o povo continua sofrer. A comprovar o desvio dos valores da saúde, que o prefeito seja obrigado e recolocá-lo em sua rubrica e gosta-lo corretamente. É Só.