Opinião

02/01/2020

O ensurdecedor silêncio do presidente Bolsonaro e do Ministro da Justiça Sérgio Moro, no caso do ataque contra a produtora do humorístico Porta dos Fundos, cai como um apoio explícito. A Frente Integralista Brasileira assumiu a autoria do que pode ser considerado atentado terrorista, a produtora do programa. Tudo, por conta do seu especial de natal, que apresenta um cristo homossexual. O atentado teria sido realizado, em defesa da família e dos bons costumes. O maior combustível  disso tudo não é nem a satirização do humorístico,  já que eles vem estereotipando Jesus de várias formas desde o início de seus especiais. Se estou de acordo ou não é uma opinião pessoal minha, acho-a de extremo mau gosto. Só que, sendo a sátira uma produção para a TV paga, a opção de assistir ou não, é de quem quiser . Estando eu de acordo ou não. Como Cristão e Evangélico, creio em um Jesus com gênero definido 'homem', entretanto fico me perguntando se ele seria menos Jesus, ou menos impontante sua vida, sua historia e seus milagres. O Jesus que eu creio não tem nada haver com o estereótipo criado pelos humoristas, mas não vejo necessidade alguma, de ser seu defensor ou comprar um barulho que não é meu. Assim como não vejo necessidade de um presidente se pronunciar contra ou a favor desse fato (Porta dos Fundos), questionamento de muitos, entretanto, acho desnecessário também  apresentar opinião contra a estatua incendiada da Havan, para um o mais profundo silencio, para outro  uma fala de repudio e indignação. Independente de conceitos, hoje, com base nas atitudes equivocadas do presidente, em governar com dois pesos e duas medidas, vemos um país envolto em um clima de violência. E não adianta ir às redes sociais ou as TVs festejar uma redução da violência. Isso é Fake News, dados sem comprovação, fatos que faltam com a verdade vindos de um mitomaníaco.  Esperamos um 2020 com menos circo, já que nessa história somos nós os palhaços. Feliz 2020.