Tudo que eu gosto é ilegal, é imoral ou engorda, ja dizia Erasmo Carlos

25/01/2020

Desde o convite feito diretamente pelo presidente a atriz Regina Duarte para assumir a secretaria de Cultura, o que eles metaforicamente chamaram de um noivado, não tocamos mais no assunto. Agora porém por causa de irregularidades na Lei Rouanet a atriz pode ter complicações. Em março de 2018, a área técnica do Ministério da Cultura reprovou a prestação de contas de um dos projetos, Coração Bazar, peça para a qual artista captou R$ 321 mil com base na legislação, através da empresa "A Vida É Sonho Produções" Artísticas. Pela decisão, cujos fundamentos são mantidos em sigilo, a atriz terá de restituir R$ 319, 6 mil ao Fundo Nacional da Cultura, a "A Vida É Sonho Produções", apresentou recurso e espera a decisão. Outros dois projetos que recebeu incentivos da Lei, um já teve contas aprovadas e o outro ainda não foi analisado. A atriz disse que fará "o que a Justiça determinar". A poucas semanas, denunciamos os desmandos dos governos, quando falamos das filhas solteiras de ex militares e políticos que recebem pensões vitalícias. Segundo dados do Ministério da Defesa, apesar de já ter sido casada três vezes, Regina nunca alterou seu estado civil e desde 1999 recebe um benefício de seu pai Jesus Nunes Duarte que foi primeiro-tenente do Exército e faleceu em 1981, vítima de um acidente de carro. Hoje ela recebe um benefício de R$ 6.843,34 mensais dos cofres públicos. Você até pode dizer, é um direito dela "isso é legal", sim, mas é imoral. Veja o caso da Cleomar que publicamos na edição de ontem, você vai entender. https://www.fique-de-olho-digital.com.br/l/a1150/