Até aqui nos ajudou o Senhor

Denuncia falsa é igual apelido é só irritar que ele pega.

31/10/2019
Foto Divulgação/Arquivo WAM/AFP/CP
Foto Divulgação/Arquivo WAM/AFP/CP

Sem poder se despedir sem deixar uma de suas pérolas, em meio a uma crise interna provocada por um vídeo onde atacava o Supremo Tribunal Federal e pressionado por ver seu nome aparecer em meio às investigações do assassinato da vereadora Marielle Franco (através de uma denúncia que sinceramente acho FALSA) só que, denúncias faltas é igual apelido, quanto mais irritado fica, mais ele pega, Jair Bolsonaro disse a investidores sauditas se considerar "quase um irmão" do príncipe saudita Mohammed bin Salman, suspeito de mandar matar o jornalista Jamal Kashoggi e conhecido pelo desrespeito aos direitos humanos. No discurso aos investidores, Bolsonaro disse que antes dele chegar ao poder "faltava comando" ao Brasil e em um arroubo autoritário afirmou que o que "forjou no Exército irá utilizar no comando do país". Como sempre acontece com diarreia verbal, primeiro se suja e depois tenta limpar. Depois dessas declarações, ele tentou minimizar, e disse que não pode governar sem o apoio do Congresso. "Não posso fazer nada sem o Parlamento. Ele é muito importante". Ele também declarou que não pretendia cumprimentar o presidente eleito da Argentina, certamente acreditando, estar alinhado com o governo norte americano, que além de enviar seus cumprimentos, ainda declarou interesse em bom relacionamento e parcerias. Seu ímpeto de arrogância e autoritarismo na maioria das vezes envergonham o país e criam desconfiança em futuros investidores, e mesmo depois de tantos acertos, consegue fazer de uma viagem de sucesso, uma situação incerta, mesmo com os acordos assinados.