Até aqui nos ajudou o Senhor

Deputada Carla Zambelli antecipa informação privilegiada da operação Placebo

27/05/2020

 O fato não é concordar ou não com a "Operação Placebo" da Polícia Federal do Rio de Janeiro. Ela certamente é motivada por investigações justas que sem dúvidas necessita de apuração. O que preocupa é o fato de estar havendo informações antecipadas das ações da operação. A deputada federal Carla Zambelli cometeu o crime ao divulgar informação privilegiada. Na segunda (25) um dia antes da operação ser deflagrada a deputada em entrevista a uma rádio gaúcha anunciou que haveria operações da PF contra governadores. Ontem (26) a polícia esteve na residência oficial do Witzel (Palácio Laranjeiras) na residência onde morava antes de se eleger e no escritório da primeira dama do estado. Como uma deputada tem essas informações? A deputada precisa esclarecer pois ao que parece ela obteve uma informação privilegiada. Cometeu um crime que passou a informação e cometeu um crime a deputada ao divulgá-la. As investigações precisam prosseguir e os culpados precisam ser punidos. Pessoas que se utilizam de um momento de crise como esse para cometer atos de corrupção como esse tem que ser preso e as chaves jogadas fora, após o ato devidamente investigado e comprovado. Só que para atingir esse fim, não se pode usar de todos os meios, principalmente se ilegais.