O Anjo que virou uma ameaça.

24/06/2020

O advogado Frederick Wassef, até a quinta-feira (18), desfilava impoluto entre autoridades no salão nobre do Planalto, como um convidado especial, era o ANJO da família Bolsonaro. circulava entre os mais diversos assuntos do clã, desde a facada sofrida pelo presidente até o inquérito da rachadinha na Alerj. Wassef dormiu como uma pessoa muito especial e acordou envolto a uma situação inesperada. A captura de Fabricio Queiroz em uma propriedade sua em Atibaia (SP) o colocou no olho do furacão. Sempre muito eloquente o advogado depois de falar muito para tentar explicar o inexplicável, teve que se calar. Wassef em entrevista havia declarado que não sabia do paradeiro de Queiroz "não sou seu advogado", após a prisão disse desconhecer sua presença em seu imóvel, ontem ele declarou que ajudou Queiroz, por razões humanitárias, até agora já são três versões para o mesmo episódio. "O que eu tenho para dizer é o seguinte: jamais escondi Fabrício Queiroz. Ele está lá (no imóvel de Atibaia) não é nenhum crime, nenhum ilícito, não é obstrução de justiça. Não há nenhuma irregularidade", disse Wassef em declaração ao telejornal SBT Brasil. (Foi) também uma questão humanitária. Porque (é) uma pessoa que está abandonada, uma pessoa sem recursos financeiros, com problemas de saúde e que o local era perto", completou o advogado. Com a aparição de mais um personagem nesse enredo, outros estão entrando em cena. Já se sabe que Cristina Boner, sócia e ex-mulher do advogado, recebeu R$ 41,6 milhões do governo Bolsonaro, mesmo estando proibida pela justiça de contratar com o poder público ou receber benefícios por três anos a partir de 2019. Entre todas as declarações desencontradas do Wassef essa deve ter deixado o clã sem dormir "Se bater no Fred, atinge o presidente. Eu e o presidente viramos uma pessoa só", afirmou. O Anjo virou uma ameaça.