Sem palavras pra' tanta indignação.

18/12/2019

A Polícia Civil de São Paulo, chegou através de uma denúncia anônima e uma rinha de cães, que pode fazer parte de um circuito internacional de brigas de cães realizado no ano passado na República Dominicana e com ramificações no país. As apostas eram feitas no local, bem como online. 18 animais da raça pitbull quase todos feridos foram resgatados e cerca de 41 pessoas presas. A operação aconteceu no último sábado (14) e ainda é destaque nas redes e agências de notícias de todo mundo. A operação foi coordenada pelo delegado Matheus Laiola, da Polícia Civil do PR, que contou com o apoio da Delegacia de Proteção do Meio Ambiente, envolvendo quase 100 policiais. O delegado postou em sua conta no instagram que havia filhotes entre os cães resgatados e os participantes colocavam pimenta no focinho dos animais para deixá-los enfurecidos para as brigas. No local os policiais após uma busca, encontraram anotações de apostas, celulares, troféus, camisetas do evento, planilhas de lutas, medicamentos ilegais, seringas e insumos hospitalares. Ainda de acordo com a polícia entre os 41 participantes da rinha estavam apostadores, criadores, treinadores e um médico veterinário (se é que pode ser chamado assim) que, aplicava soro para manter os animais lutando. Pelo menos cinco estrangeiros também foram presos: um americano, dois peruanos e dois mexicanos. Um policial militar também foi preso e encaminhado ao presídio Romão Gomes. Imagens e vídeos compartilhados pela polícia mostraram cães feridos e desnutridos amarrados em condições horríveis. Vários tinham cortes sangrentos no rosto. Laiola disse que quando um cão urinava, apenas sangue saía. Os pit bulls foram treinados por dias sem comer ou beber água. Uma das imagens mais estarrecedora no local foi de um dos animais que perdeu uma briga, que sendo assado e serviria de comida para os outros cães.