Até aqui nos ajudou o Senhor

Bolsonaro chama Paulo Freire de energúmeno, para defender rescisão de contrato com a TV Escola

17/12/2019

Enquanto as federais superam as avaliações do Ministério da Educação. O presidente Bolsonaro para tentar defender o fim do contrato com a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp), responsável por gerir a TV Escola, diz que a TV Escola "deseduca". Segundo ele a programação da TV é totalmente de esquerda e ideologia de gênero. Dinheiro público para ideologia de gênero. Então tem que mudar", disse. As ponderações do presidente são quase que sempre descabida de razão. Quando percebe isso ele parte para falta de decoro presidencial e sai ao ataque. O presidente afirma que R$ 350 milhões, valor da renovação do contrato seriam jogados no lixo", afirmou. "Tem muito formado aqui em cima dessa filosofia do Paulo Freire. Esse "energúmeno aí" ídolo da esquerda", declarou Bolsonaro. O presidente voltou a tratar do resultado do Brasil na prova do Pisa, como parâmetro. "Estamos em último lugar no mundo, se eu não me engano, matemática, ciências e português (se engana o presidente) embora os resultado não sejam animadores, ainda não chegamos nessa colocação. Acho que um ou dois itens somos os últimos da América do Sul. Vamos esperar o que desse Brasil com esse tipo de educação?", disse. O caso é que chegando ao final desse primeiro ano de mandato o ministério da Educação não tem nada de concreto para mudar esse quadro. Se não foi feito... não vemos nada ser feito.