Até aqui nos ajudou o Senhor

Sabe de Nada...

23/11/2019

Sem parar... Durante uma participação em um evento realizado pelo site Jota em Brasília, agora foi a vez do secretário especial da Previdência no Ministério da Economia Rogério Marinho lançar pérolas. O secretário, mostrou contrariedade com a decisão do STF, declarou inconstitucionais os incisos II e III do artigo 394-A da nova CLT. Com a decisão do STF derrubou a possibilidade de grávidas e lactantes trabalharem em locais insalubres como defendia o secretário. O novo texto permitia que mulheres grávidas trabalhassem em locais insalubres, colocando em risco a vida do bebê e da própria mulher. Além disso, o texto da reforma trabalhista permitia que lactantes poderiam desempenhar atividades insalubres em qualquer grau. De acordo com o secretário a decisão do STF, irá causar discriminação contra a mulher no mercado de trabalho e gerar uma possibilidade alta, de mulheres serem dispensadas de seus empregos após o período da gestação. Mostrando seu total desconhecimento da CLT que garante a estabilidade pós parto por pelo menos cinco meses o secretário finge não saber que, antes da lei, mulheres gestantes sempre foram proibidas de trabalhar em locais insalubres. Sabe de nada, inocente.!!!