Crise prejudica governabilidade do presidente

01/02/2020

No centro de mais uma crise de governabilidade, o presidente passou boa parte do dia de ontem (31), a procura de uma saída politicamente correta, para a crise que se instalou na Casa Civil. O ministro-chefe Onyx Lorenzoni disse a aliados na quinta-feira (30), ter ficado surpreso com a decisão de Jair Bolsonaro de retirar a gestão do PPI (Programa de Parcerias e Investimentos) da alçada de sua pasta e esvaziar ainda mais seus poderes. Onyx já havia perdido a articulação política em junho, após ser criticado pela interlocução com o Legislativo. Além disso, a coordenação jurídica da Presidência havia sido passada para a Secretaria-Geral. O presidente discute agora, formas de contemplar o aliado em outro cargo na Esplanada dos Ministérios. Mesmo insatisfeito com o seu trabalho na casa Civil, Onyx foi um aliado de primeira hora e não pretendo abandoná-lo disse o presidente. Dentre as várias hipóteses avaliadas durante todo o dia de ontem, uma se torna bastante viável, transferi-lo para o ministério da Educação do lugar de Abraham Weintraub. Caso opte por alocar Onyx na Educação, Bolsonaro atenderá ainda a ala do governo e parlamentares que cobram a demissão do atual ministro, depois da crise instalada também no ministério da Educação. Onyx antecipou o retorno das férias nesta sexta-feira para definir seu futuro com Bolsonaro, o ano começa tenso.