Até aqui nos ajudou o Senhor

Neste caso realmente é muita fumaça e pouco fogo

15/11/2019

De um lado discursos inflamados e o uso indiscriminado das redes sociais, com falas em aumento das vendas dos produtos brasileiros para china, ontem divulgamos as expectativas da ministra Tereza Cristina nesse sentido. De concreto até agora é a queda de 9,9% da exportação de nossos produtos para a China. Na Cúpula, os dois países firmaram um tímido acordo que nem sequer foi detalhado no discursos oficiais. Dos nove acordos assinados, somente dois tratam de investimentos financeiros, um detalha as regras para a exportação de pera chinesa para o Brasil e o outro do melão brasileiro para a China. Os outros são pacotes de intenções. Enfim, nada de substancial, os acordos assinados, serviram para a Cúpula não terminar sem resultados. Um assunto que deveria ter voltado nessa reunião, não foi retomado, que é a ferrovia entre o Brasil e o Peru uma rota de acesso ao Oceano Pacífico, que os chineses anunciaram que financiaram e a três anos e sumiu da pauta. Já o ministro Paulo Guedes falava com entusiasmo em uma palestra sobre a instalação de uma "free trade área" área de livre comércio. Entretanto fontes ligadas ao ministério disse que isso é visto com ceticismo dentro do próprio ministério . "É uma conversa que ainda está em estágio inicial. Não tem nada certo, ainda. Tudo muito longe de qualquer conclusão". Fazer uma área de livre comércio entre desiguais e preocupante, há uma assimetria entre as duas economias, principalmente no campo tecnológico, onde o nível da China está muito à frente do Brasil.