Quem vai pagar o novo salario de Weintraub?

20/06/2020

O governo Bolsonaro oficializou na noite de quinta-feira (18) , a indicação do ex-ministro Abraham Weintraub para diretor executivo do Banco Mundial. Na nota o presidente explica que a indicação do ex-ministro para uma cadeira na diretoria liderada pelo Brasil que representa Colômbia, Equador, Trinidad e Tobago, Filipinas, Suriname, Haiti, República Dominicana e Panamá. O governo destaca os 20 anos experiência de Weintraub, no mercado financeiro a frente do Banco Votorantim. Enquanto o presidente cita sua experiência, o presidente da Câmara Rodrigo Maia, lembrava que o banco quebrou em 2009, quando Weintraub era o economista responsável, integrantes do Banco Mundial disseram estar estarrecidos com a sua indicação para o Banco. O Banco Mundial informa que o nome indicado terá que ser aprovado por um grupo de países, se eventualmente aprovado seu nome, o mandato termina em outubro. A vaga que o governo pleiteia para Weintraub, faz parte de um conselho de diretores, que reúne representantes dos países. Caso seja aceito ele irá representar um grupo específico que integra além do Brasil, a Colômbia, Filipinas, Equador, República Dominicana, Haiti, Panamá, Suriname e Trinidad e Tobago e são essas nações que terão que aprovar seu nome. Se eleito pelo seu constituency, ele cumprirá o restante do atual mandato que termina em 31 de outubro de 2020, quando será necessária uma nova nomeação e nova eleição. A instituição reforça que diretores executivos não são funcionários do Banco. São representantes dos países acionistas. Como castigo pela sua má gestão, Weintraub deverá receber cerca de R$ 1,34 milhões e terá que morar em Washington. Só uma pergunta, se o ocupante do cargo NÃO é funcionário da instituição, quem pagará seu salário?