Com tanta dificuldade no combate a Covid-19 senador quer destinar R$ 3 bilhões para estados, municípios e Distrito Federal para aplicações emergenciais de apoio ao turismo

24/06/2020

A matemática do governo está completamente errada, em um dia vem a público para dizer que mais dois meses de R$ 600, de auxílio emergencial, quebrará o governo (mesmo tendo gasto apenas 39% do total destinado). E em outro momento vem dizer que a União pretende destinar R$ 3 bilhões a estados, municípios e Distrito Federal para aplicações emergenciais de apoio ao turismo, a serem adotadas durante e depois do estado de calamidade pública gerado pelo coronavírus. É o que prevê o Projeto de Lei 3.285/2020, em tramitação no Senado. O projeto é de autoria do senador Jean Paul Prates, um PL dessa natureza no momento que o país enfrenta uma batalha desigual como um vírus que já matou mais que a guerra do Paraguai. Um pouco de história. Durante pouco mais de cinco anos entre 1864-1870 o Brasil se uniu a Argentina e ao Uruguai , formando a tríplice aliança, que depois de uma série de batalhas derrotou o Paraguai. Embora vencedor, o país de dom Pedro II contabilizou uma quantia enorme de óbitos, pelo menos 50 mil, segundo os estudos mais recentes e detalhados. Enquanto isso dados oficiais do Ministério da Saúde indicam que a Covid matou até o dia (22) 51.271 pessoas. Que me desculpe o senador mais dizer que O setor turístico é o mais afetado pela crise econômica decorrente da pandemia da covid-19 e será o último a ser retomado no pós-pandemia, o que exige a adoção de medidas para atenuar seus efeitos na atividade. É uma mentira sem cabimento. A pandemia não desestruturou somente esse segmento da economia. Certamente contrariando todos os argumentos do ilustre senador, tão logo volte às atividades, o setor do Turismo será o que terá a mais rápida recuperação. R$ 3 bilhões para o setor nesse momento crítico e completamente incabível.